Pular para o conteúdo principal

Individualidade e estilo ajudam a fazer o líder

Quando se fala em liderança, sempre surgem listas de atributos indispensáveis a um líder competente. Até Lee Iaccoca, o lendário ex-CEO da Chrysler, andou fazendo a dele. Em seu livro mais recente, intitulado "Cadê os líderes", o experiente Iacocca cita as características essenciais de um bom líder, conjunto esse que ele batizou de os nove "Cs" da liderança, a saber: curiosidade, criatividade, comunicação, caráter, coragem, convicção, carisma, competência e critério. Não há dúvida de que todas essas qualidades têm seu peso na hora de compor o perfil de um líder eficaz. No entanto, eu acrescentaria mais uma: a individualidade. Os líderes que realmente fazem a diferença são aqueles que expressam os atributos citados por Iacocca de um modo único, original. Eles não seguem estilos - criam estilos.

Criar um estilo não é necessariamente uma questão de "inventar moda". Muitas vezes, um líder recorre a processos, sistemas, metodologias e idéias já existentes. A diferença é que um líder dotado de uma individualidade marcante faz isso à sua maneira, reciclando conceitos, inovando, adaptando, até chegar à solução mais eficaz para lidar com a situação com a qual ele se defronta no momento. E faz isso conquistando a cooperação e o engajamento de seus colaboradores, pois, é bom frisar, individualidade não é o mesmo que individualismo.

É claro que seu estilo, tanto pessoal quanto profissional, pode suscitar críticas mas, no final das contas, o que importa mesmo são os resultados. Veja-se o caso da indiana Indra Nooyi, atual CEO da PepsiCo, a segunda maior fabricante de refrigerantes do mundo. Indra costuma ir para o trabalho e para as reuniões de negócios vestindo o sári, traje tradicional indiano. Em ocasiões especiais, ela é vista com um pequeno círculo vermelho pintado entre seus olhos, o bindi, um costume milenar das mulheres indianas.

Não falta quem afirme que ela usa suas tradições nativas com objetivos marqueteiros. No entanto, como diz o ditado, os cães ladram e a caravana passa. Contratada pela Pepsi em 1994 para ocupar o cargo de vice-presidente de planejamento estratégico, Indra comandou mudanças que revitalizaram a empresa, transformou iniciativas deficitárias em empreendimentos lucrativos e abriu novos mercados. Por tudo isso, foi elevada à posição de CEO - é a primeira mulher a ocupar essa posição em toda a história da Pepsi.

Indra foi apontada pela revista Fortune como a mulher mais poderosa do mundo, à frente de estrelas como a apresentadora Oprah Winfrey e Zoe Cruz, presidente do banco Morgan Stanley. Ela é, também, a executiva mais bem paga do planeta. Os que criticam suas roupas deveriam lembrar-se que o hábito não faz o monge - nem a monja. A individualidade e o estilo, porém, ajudam a fazer um líder.


Fonte: Por Ricardo Bellino, in Gazeta Mercantil/Caderno C - Pág. 11
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A relação entre empresas e clientes

Atender as necessidades do consumidor é um dos princípios básicos do Marketing. E o que mais as pessoas precisam hoje, para além da relação de compra, é de relacionamentos positivos com uma marca. Especialistas apontam três requisitos essenciais na relação entre as empresas e seus clientes: confiança, diálogo e reconhecimento.

Alguns especialistas são categóricos em afirmar que nem mesmo o consumidor sabe o que quer. Por isso, toda empresa deve estar atenta para atender as demandas reprimidas. Mas, num cenário em que produtos e serviços são semelhantes, o que vai diferenciar uma marca da outra é a experiência positiva proporcionada em todos os contatos com um produto ou serviço.

A Coordenadora da Área de Marketing e Negócios Internacionais do Coppead/UFRJ, Letícia Casotti, informa que os antropólogos dizem que somos uma “sociedade relacional”. “Damos muita importância a relacionamentos e somos um povo fácil de estabelecer relacionamentos. Mas, por outro lado, observam-se empresas cada …

Muito além do lucro: empresas precisam de propósito para criar valor para os stakeholders

O principal motor do sistema capitalista é o capital. Melhor dizendo, o lucro, que Karl Marx cunhou de forma crítica como mais-valia. Desde a concepção do sistema, entretanto, muita coisa aconteceu - da queda do muro de Berlim e dos regimes comunistas à chegada da Geração Millennial ao mercado de trabalho - e tornou cada vez mais iminente a necessidade de revisão daquele guia original dos negócios, representado por cifrões. Hoje, as empresas despertam, pouco a pouco, para a importância de se buscar propósitos mais nobres para as suas atividades, enxergando o lucro como resultado e não como objetivo maior.
A nova mentalidade, entretanto, não pode se resumir a uma maquiagem para levar a organização ao sucesso na nova era, e esse é um dos desafios assumidos por Raj Sisodia, Cofundador e Copresidente do Instituto Capitalismo Consciente, que esteve no Rio de Janeiro na última semana durante o evento Sustainable Brands.
A entidade sem fins lucrativos criada por Sisodia já está em seis países,…

Em busca de economia, consumidor troca lojas físicas por virtuais

No primeiro semestre, ao todo, mais de 17 milhões de brasileiros fizeram ao menos uma compra em lojas virtuais do país. O setor apresentou um faturamento de R$ 18,6 bilhões, segundo o relatório da WebShoppers. O destaque do período foi o maior volume de vendas de eletrodomésticos e telefonia/celular - produtos que pela cultura do país eram comprados em lojas físicas.
Segundo Adriano Caetano, especialista em e-commerce e diretor da Loja Integrada, a mudança de comportamento é reflexo da nova organização do orçamento. "Com a crise, a população acaba poupando mais dinheiro e a internet é uma forma de economizar. É mais fácil pesquisar preços e formas de pagamento, e possivelmente encontrar um preço mais barato que a loja física", explica Adriano. Na Loja Integrada, por exemplo, o aumento nas vendas entre as micro e pequenas empresas chegou a 40% em relação ao ano passado, número na contramão da recessão da economia.
Para o especialista, o destaque nestes segmentos de vendas está …