Pular para o conteúdo principal

A importância da comunicação na cultura corporativa

Por Gustavo Caetano*

Durante minha trajetória, conheci e conversei com muitos diretores e colaboradores de diversas empresas e um tema que sempre era discutido por todos como um dos principais fatores para uma estratégia de sucesso era a importância da comunicação na cultura corporativa. Pensando nisso, resolvi reunir nesse artigo alguns pontos que acredito que sejam importantes para adquirir um melhor desempenho e produtividade no trabalho.
Investir em uma cultura corporativa de qualidade e em gestão de pessoas são estratégias para quem quer ter sucesso no empreendimento e, claro, a comunicação tem papel fundamental nesse processo. Pesquisar e adotar plataformas de distribuição de conteúdo dentro da empresa pode significar investimento e redução de custos, pois unifica a comunicação, evita deslocamentos desnecessários, elimina mal-entendidos e otimiza recursos.

O engajamento profissional, por exemplo, é um indicador crítico de quão bem-sucedida uma empresa será no mercado, mas para isso, além do trabalho, é importante permitir que o colaborador adeque sua função às suas competências, experiências, forças e também ao que gosta de fazer.

Seu time pode focar no colaborador e entregar a ele diversas possibilidades reais de engajamento, interatividade e maximização de produtividade, por exemplo, utilizar e adequar experiências digitais e ferramentas utilizadas no dia a dia para o ambiente profissional ou transformar a intranet em algo legal e interessante, são opções que podem motivar os colaboradores a aprender. Acredito que dessa forma, você consegue chegar a uma possibilidade mais real de eficiência operacional, atingindo um maior número de colaboradores e falando uma linguagem próxima à realidade deles.

É claro que não existem fórmulas mágicas ou receitas prontas, mas apostar na comunicação como recurso de reforço na cultura organizacional pode fazer a diferença no posicionamento da empresa no mercado em que atua. Alguns pontos, como agilidade, interatividade, mobilidade, capilaridade, engajamento e, claro, mensuração de resultados são fatores que não podem deixar que constar no planejamento de comunicação dos empresários que buscam melhorar a cultura de sua empresa em todos os aspectos, de dentro para fora.

Para finalizar, reforço que empresas que têm valores bem definidos e compartilhados com o restante da equipe conseguem aumentar o impacto da organização no mercado. O retorno é a prova de que a liderança em relação ao comportamento dos funcionários é eficiente, demonstrando a importância de cada um no processo de crescimento da companhia. Portanto, vale a frase “working like a boss, mesmo”.

*Gustavo Caetano é CEO da Samba Tech, que ajuda centenas de empresas a se comunicar melhor com sua audiência por meio de vídeos online. Suas soluções de Educação a Distância, Comunicação Corporativa Transmissão ao Vivo e TV na Internet cuidam de ponta a ponta, desde o momento que o vídeo sai da câmera até ele ser distribuído para qualquer aparelho conectado à internet. Através da tecnologia de streaming, a empresa leva o conteúdo de seus clientes a milhares de pessoas, tornando mais democrático o acesso a uma mensagem de qualidade.



Matéria completa: http://corporate.canaltech.com.br/noticia/gestao/a-importancia-da-comunicacao-na-cultura-corporativa-47439/#ixzz3jDqwxejf 
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A relação entre empresas e clientes

Atender as necessidades do consumidor é um dos princípios básicos do Marketing. E o que mais as pessoas precisam hoje, para além da relação de compra, é de relacionamentos positivos com uma marca. Especialistas apontam três requisitos essenciais na relação entre as empresas e seus clientes: confiança, diálogo e reconhecimento.

Alguns especialistas são categóricos em afirmar que nem mesmo o consumidor sabe o que quer. Por isso, toda empresa deve estar atenta para atender as demandas reprimidas. Mas, num cenário em que produtos e serviços são semelhantes, o que vai diferenciar uma marca da outra é a experiência positiva proporcionada em todos os contatos com um produto ou serviço.

A Coordenadora da Área de Marketing e Negócios Internacionais do Coppead/UFRJ, Letícia Casotti, informa que os antropólogos dizem que somos uma “sociedade relacional”. “Damos muita importância a relacionamentos e somos um povo fácil de estabelecer relacionamentos. Mas, por outro lado, observam-se empresas cada …

Muito além do lucro: empresas precisam de propósito para criar valor para os stakeholders

O principal motor do sistema capitalista é o capital. Melhor dizendo, o lucro, que Karl Marx cunhou de forma crítica como mais-valia. Desde a concepção do sistema, entretanto, muita coisa aconteceu - da queda do muro de Berlim e dos regimes comunistas à chegada da Geração Millennial ao mercado de trabalho - e tornou cada vez mais iminente a necessidade de revisão daquele guia original dos negócios, representado por cifrões. Hoje, as empresas despertam, pouco a pouco, para a importância de se buscar propósitos mais nobres para as suas atividades, enxergando o lucro como resultado e não como objetivo maior.
A nova mentalidade, entretanto, não pode se resumir a uma maquiagem para levar a organização ao sucesso na nova era, e esse é um dos desafios assumidos por Raj Sisodia, Cofundador e Copresidente do Instituto Capitalismo Consciente, que esteve no Rio de Janeiro na última semana durante o evento Sustainable Brands.
A entidade sem fins lucrativos criada por Sisodia já está em seis países,…

Em busca de economia, consumidor troca lojas físicas por virtuais

No primeiro semestre, ao todo, mais de 17 milhões de brasileiros fizeram ao menos uma compra em lojas virtuais do país. O setor apresentou um faturamento de R$ 18,6 bilhões, segundo o relatório da WebShoppers. O destaque do período foi o maior volume de vendas de eletrodomésticos e telefonia/celular - produtos que pela cultura do país eram comprados em lojas físicas.
Segundo Adriano Caetano, especialista em e-commerce e diretor da Loja Integrada, a mudança de comportamento é reflexo da nova organização do orçamento. "Com a crise, a população acaba poupando mais dinheiro e a internet é uma forma de economizar. É mais fácil pesquisar preços e formas de pagamento, e possivelmente encontrar um preço mais barato que a loja física", explica Adriano. Na Loja Integrada, por exemplo, o aumento nas vendas entre as micro e pequenas empresas chegou a 40% em relação ao ano passado, número na contramão da recessão da economia.
Para o especialista, o destaque nestes segmentos de vendas está …