Abre alas

Pode parecer loucura, mas o Carnaval é uma das maiores vitrines comerciais e de branding da face da terra. Dêem uma reparada no número de empresas e marcas que se envolvem com a festa direta e indiretamente. Não vou citar nominalmente ninguém, mas dá para perceber que as maiores marcas do país, independente de serem bens de consumo ou não, estão em Salvador, Recife, Rio de Janeiro, São Paulo e em inúmeras cidades pelo país onde tiver um folião prá lá e para cá no samba.

Aí vem a pergunta: no meio de tanto confusão dá resultado inserir uma marca ou é só uma data que tem que ser aproveitada? Respondendo diretamente: dá muito mesmo. É o grande o momento para fixar uma imagem de marca, uma experiência ou um estilo.

A pergunta seguinte seria: mas serve para tudo e todos isso? A resposta: sim. Dá para divulgar desde cerveja, vodca, ar-condicionado, celular, azulejos e até bancos de investimentos, a prova disso, por exemplo, é o Carnaval de Salvador.

Nunca acreditei muito nisso, mas só depois que comecei a viver o tumulto da festa na Bahia que me dei conta das possibilidades. Esse ano é minha terceira passagem por aqui (aliás, o texto que você lê já é uma produção "baiana" da minha pessoa, dentro do quarto do hotel). Dado um exemplo, nesse ano venho com uma missão diferente das outras, Meu trabalho aqui é fazer relacionamento com parceiros estratégicos de um cliente do setor de revestimentos cerâmicos.

Sei que logo de cara, fica difícil de imaginar como uma empresa que faz pisos e azulejos pode aproveitar o carnaval. Aí que está o pulo do gato. A questão aqui, nesse caso, é dar uma experiência para o cliente para viver algo novo e diferente. O produto está presente - no meu caso, dentro de um camarote muito badalado, o Expresso 2222 -, mas o grande trunfo de marketing é poder levar o cliente para dentro de um dos lugares mais disputados de todo o Brasil.

Esse é um exemplo simples de como pegar pelo coração um consumidor ou cliente. "Uma experiência inédita e única, que só a marca "X" foi capaz de me proporcionar". É esse o lema que Dirce Amaral, uma das melhores estrategistas de marketing do mercado, faz com todo o talento. Há oito anos consecutivos trabalhando com o Expresso 2222, ela já criou ações para marcas com uma relação clara com a festa, como Gatorade e Toddynho, mas também para produtos aparentemente distantes, como Maizena e Veja Multiuso. Tudo sobre esse mote.

Segundo ela, a Bahia é uma grande vitrine, pois reúne mais de 2 milhões de pessoas pelas ruas que estão aptas a receber as mensagens que cada patrocinador ou apoiador tem para dar, basta dourar a pílula para que tudo fique coerente.

Nos outros anos que vim para cá, trabalhei com marcas diferentes, com um trabalho de cobertura e divulgação do que a marca fazia durante a festa. Fizemos um trabalho de redação mesmo, com fotógrafo exclusivo, notas, entrevistas e divulgação on-line para toda a imprensa. Para cada marca houve um trabalho específico, com objetivos diferentes e ações exclusivas. Em ambos os anos só o resultado de mídia espontânea cobriu em mais de 100% o investimento total no Carnaval. Em suma, uma ação para o Carnaval bem estruturada, mesmo que simples, dá resultados certeiros.

Nesse ano, quando começar a cobertura das TVs, tire o olhar dos carros alegóricos e dos trios estrelados e dá uma olhadinha na volta de onde tudo acontece. Repare nas revistas e as roupas que todos os artistas usam. Tudo tem uma pitada de marketing e comunicação.

Para 2009, corra para não perder esse bonde e já comece a bolar algo para o seu cliente para a folia. Tenho certeza que será uma grande oportunidade.


Fonte: Por Eduardo Pugnali, in portalimprensa.uol.com.br
0