PDV influencia brasileiros na hora da compra

Um novo estudo da Nielsen aponta que as ações e promoções feitas diretamente nos pontos de venda são os fatores que mais influenciam os consumidores brasileiros a tirar o dinheiro do bolso para adquirir produtos. Além disso, passado o período de maior instabilidade e de receio em relação à economia global, as pessoas já se sentem mais a vontade para voltar a colocar em seu carrinho de compras os seus itens preferidos, que tinham sido deixados de lado ou substituídos por outros mais baratos. O estudo mostra também uma diminuição no valor do tíquete médio aliado ao aumento da freqüência de ida às compras. Confira!



As conclusões são alguns dos resultados principais do estudo "Crise ou Incerteza?", realizado pela Nielsen em 50 países, do qual participaram mais de 17 mil pessoas. Segundo os resultados obtidos junto aos pesquisados no Brasil, o atual período aponta para um crescente otimismo em relação à economia nacional e global, o que tende a impulsionar o consumo.

Em termos de confiança, os brasileiros ocupam o quarto lugar entre os países pesquisados pela Nielsen, ficando atrás da Indonésia, Índia e das Filipinas. Enquanto a média global de confiança ficou em 82 pontos, a do Brasil atingiu 96. De acordo com a pesquisa, as ações de ponto de venda são responsáveis por incrementar em 55% as vendas dos produtos.

Outro ponto importante apontado pelo estudo diz respeito à maneira como os brasileiros estão indo ás compras. Se anteriormente o hábito de encher os armários e estocar uma grande quantidade de mercadorias era comum, agora os consumidores estão indo mais vezes aos pontos de venda, mas comprando uma quantidade de itens menor.
O potencial de consumo das classes D e E cresceu, fazendo com que esses dois níveis socioeconômicos sejam responsáveis por 36% de todo o consumo médio do País. O valor do tíquete médio da classe C caiu 4% em relação à pesquisa anterior, o que indica um aumento da freqüência das compras e a aquisição de menos itens.

Itens das prateleiras
O estudo também mediu a oferta de produtos disponíveis aos consumidores em diferentes categorias. As bebidas energéticas foram um dos quesitos que mais se destacaram e chamaram a atenção dos consumidores nos pontos de venda. A entrada de novas marcas e players no segmento fez com que a categoria crescesse 47,7% no primeiro semestre de 2009 em relação ao mesmo período do ano passado.

A categoria de isotônicos também obteve destaque, com crescimento de 27,9%, seguida da de iogurtes, com 10,5% de crescimento graças ao surgimento de novas linhas, com destaque para os itens light e funcionais.


Fonte: www.mmonline.com.br

1