Marcas de inseticidas começam a sair da toca

Com a chegada da primavera, seguida do verão, tem início a temporada dos inseticidas, uma vez que os insetos começam a por as "manguinhas de fora" e saem à procura de melhores condições de reprodução em busca dos quatro "As", como chama o mercado: Alimento, Água, Acesso e Abrigo. "Quanto mais quente, mais rápido fica o ciclo de reprodução dos insetos, o que resulta num significativo aumento da população", comenta a gerente de marketing da Reckitt Benckiser, Patrícia Macedo. A companhia detém as marcas SBP e Mortein Rodox.

Esse mercado é composto pelos segmentos de aerossol (60%), elétricos (25%), líquidos (8%), iscas (6%), ratos (3%) e pó e espiral - os dados são do instituto AC Nielsen e correspondem ao ano de 2007. Trata-se de um mercado que movimenta cerca de R$ 580 milhões com uma previsão de chegar a R$ 610 milhões em 2009.

O segmento de aerossol está dividido nas seguintes categorias: multiinseticidas, mata-baratas e moscas e mosquitos. No caso dos multiinseticidas, a marca SBP é a líder de mercado com uma participação de 35% tendo Raid na segunda posição com 12,5%. "SBP tem como foco o público preocupado com a toxidade do produto e que busca, na maioria das vezes, o inseticida à base de água, diferentemente do consumidor de Mortein Rodox, por exemplo, que deseja mesmo é matar os insetos, independentemente da toxidade do produto, que nesse caso é à base de derivados de petróleo", explica a executiva.

Os inseticidas à base de derivados de petróleo são os mais procurados na categoria mata-barata, que tem a marca Mortein Rodox na liderança com 40% de participação e Raid com 23%. "O segmento de moscas e mosquitos não possui muita representatividade no mercado, uma vez que o consumidor opta pelo multiinseticida ou o ação total, que engloba os insetos voadores e também os rastejantes, como baratas, aranhas e formigas", afirma Patrícia. A Reckitt Benckiser possui a liderança do segmento de aerossol com 49,7% - todos os dados são do instituto AC Nielsen. Patrícia explica ainda que na categoria de multiação existem as sub-categorias: ação total e casa e jardim. "O que muda é a intensidade e a velocidade em que o inseticida mata o inseto", conta.

Consumo
No período de alta temporada para o setor, segundo Patrícia, há um aumento, médio, de cerca de 25% no consumo de inseticidas, nas mais diferentes categorias, daí o início das ações de marketing da Reckitt Benckiser que investe, este ano, em suas principais marcas: SBP e Mortein Rodox uma verba total de R$ 30,5 milhões.

No caso de Mortein Rodox, a estratégia é divulgar toda a linha de produtos: mata-barata, barreira ativa, cantos e frestas e a isca - mata no ninho. "A isca é uma boa opção, uma vez que as baratas são canibais e depois que uma entra na isca, leva para o ninho o veneno, que acaba sendo consumido por outras baratas", explica a executiva.

A campanha de Mortein prevê veiculação de um filme nas TVs aberta e fechada, além de material de ponto-de-venda, promoções e internet. A agência que assina a ação é a Euro RSCG e a verba para a marca é de R$ 11,50 milhões, um total 35% maior do que a do ano passado..

Já para SBP, que tem uma verba de R$ 19 milhões, além de um filme para TVs aberta e fechada, está prevista uma promoção nacional e também merchandising, além de anúncios impressos em revistas e material de ponto-de-venda.


Fonte: Por Sheila Horvath, in Gazeta Mercantil/Caderno C - Pág. 5
0