“Bayer Contra Pirataria”

A Bayer desenvolveu um site exclusivo contra a pirataria de medicamentos. Voltado ao público leigo, o www.bayercontrapirataria.com.br traz informações sobre como identificar produtos falsificados, cuidados para a compra online, notícias, telefones e endereços úteis, perguntas frequentes, além de link para denúncias. O site “Bayer Contra Pirataria” faz parte de um projeto global do laboratório para estimular a conscientização sobre o tema e prevenir a falsificação de medicamentos.

Segundo a advogada da Bayer, Anielle Cannizza, o site oferece dicas para que o consumidor e os profissionais de saúde possam se proteger de medicamentos duvidosos, seguindo as orientações e normas da Anvisa. “O consumidor pode conhecer os principais itens de segurança dos medicamentos, como a tinta reativa e o lacre de segurança”, afirma Anielle. No link “Histórico”, o internauta acessa informações sobre o que são medicamentos falsificados e os riscos à saúde. Já o link “Comprando online” esclarece dúvidas sobre compra de medicamentos pela internet - uma das principais fontes de medicamentos falsificados no Brasil.

Segundo Wendel Correia, gerente de segurança corporativa da Bayer, o projeto contempla outros esforços:“Temos ações de conscientização em conjunto com autoridades, seguimos todas as recomendações da Anvisa e contribuímos também com o nosso know-how”, conta.

No futuro, medicamentos serão rastreados
A Bayer apóia o projeto de lei que prevê a criação do Sistema Nacional de Controle de Medicamentos. Conhecida como “RG dos medicamentos”, a lei no 11.903 entrou em vigor em janeiro de 2009 e o sistema deverá estar 100% implementado até 2012. Este sistema possibilitará o rastreamento eletrônico de todos os medicamentos vendidos no mercado brasileiro, por meio de um código individual impresso na embalagem.

A medida permitirá a confirmação da procedência e da autenticidade dos medicamentos, dando maior segurança aos consumidores, profissionais de saúde e estabelecimentos comerciais. “Sem dúvida, a iniciativa terá grande impacto na redução dos casos de falsificação e contrabando de medicamentos no país”, analisa Paulo Camossa, farmacêutico responsável pelo site Cancioneiro, localizado em São Paulo, que exporta contraceptivos orais para mais de 30 países da América Latina e Ásia e é a segunda maior produtora mundial de hormônios sólidos do grupo Bayer.

Dicas para se proteger contra remédios falsificados

• Todo medicamento vendido no varejo contém a “raspadinha”, espaço com tinta reativa localizado em uma das laterais da embalagem. Quando raspada com objeto metálico, ela revela a palavra “qualidade” e a logomarca da empresa fabricante.

• As embalagens devem conter um lacre ou selo de segurança que, depois de rompido, é irrecuperável. Outro item obrigatório é o número de registro na Anvisa.

• Não compre produtos em embalagens diferentes daquelas dos produtos originais. No caso de dúvida, consulte seu médico ou farmacêutico.

• Não compre medicamentos vendidos por pessoas na internet ou em estabelecimentos públicos como discotecas, bares e academias de ginástica.

• Verifique a reputação das farmácias da Internet antes de comprar medicamentos online. O site www.anvisa.gov.br contém a lista de todas as empresas autorizadas a funcionar no país.

• Evite ofertas para medicamentos vendidos somente sob prescrição médica que não exijam a apresentação desta prescrição.

• Ao suspeitar da procedência de um medicamento, procure a vigilância sanitária local ou ligue para o Disque Saúde pelo número telefônico gratuito 0800-61-1997.


Fonte: Por Gabriela Fontes, in consumidormoderno.uol.com.br
0