Mulheres geração M: como as mulheres estão encarando a vida




As mulheres estão determinadas, são cada vez mais participavas e exigentes. Esse é um resumo do nono estudo da série “Talent Trends” coordenada por Paulo Stephan, diretor geral de mídia da Talent.

Com base em dados de organizações e institutos mundiais, além de pesquisas publicadas em importantes veículos de comunicação, o levantamento identifica a maneira como as mulheres estão encarando a vida e o que mudou no contexto feminino nos últimos anos. “Tentar entender as mulheres sempre foi uma tarefa complexa. As atuais exigem ainda mais energia, mas valem muito o esforço”, diz Stephan.

O nome "Mulheres Geração M” explora o M de mais, de muito, de máximo. O trabalho é dividido em 5 eixos principais: M de Amor, mostra a independência e individualidade nas relações amorosas; M de Poder, que ressalta a determinação a derrubar as últimas barreiras que as separam da igualdade absoluta frente ao sexo masculino; M de Independência, sobre a ampliação considerável do exercício de liberdade de escolha do sexo feminino; M de Diversão, que aponta uma vida social cada vez mais de sua livre escolha; e M de Desejos, que retrata como a mulher almeja a capacidade de realizar os seus desejos individualmente e sem culpa.

Para divulgar a pesquisa, a agência reuniu, na manhã desta sexta-feira, 28, em sua sede, as executivas Andréa Napolitano, diretora de marketing e trade marketing da Lactalis Elebat Brasil, Daniela Cachich, VP de marketing da Heineken, Roberta Godoi, diretora comercial e de comunicação da Unidade Residencial da Net e Claro e Renata Serafim, diretora geral de planejamento da Talent.

O debate foi moderado por Astrid Fontenelle, do programa “Saia Justa”, do GNT. “Esse tipo de informação, fornecida pelo estudo, é muito importante para saber como nos conectarmos com essas mulheres, quem são elas e o que estão buscando”, diz Renata Serafim, diretora geral de planejamento da Talent.

Para Daniela Cachich, os gêneros são complementares: “eu sou muito a favor da combinação entre homens e mulheres. Quando eu vou montar um time, quero que ele seja complementar. A composição dos dois gêneros, no meu olhar, faz a equipe vencedora”, destaca. Já Roberta Godoi acredita que os homens precisam ler o estilo das mulheres e entendê-las melhor.


Os principais números sobre o universo feminino no Brasil:
- 100 milhões de mulheres
- As brasileiras entre 15 e 59 anos de idade somam mais de 67 milhões e representam 30,1% da população total do País.
- A renda da população feminina cresceu mais de 80% em dez anos saltando de R$ 602 bilhões, em 2003, para R$ 1,1 trilhão, em 2013.
- Enquanto a renda da população feminina quase dobrou, a da população masculina, no mesmo período cresceu menos de 50%, de R$ 1,1 trilhão para R$ 1,6 trilhão.
- Elas são digitalmente mais ativas. Ao menos nas redes sociais onde 67% dessas mulheres possuem perfil privado versus 48% dos homens.
- 93% das mulheres americanas gostam de ganhar dinheiro e acumular riquezas e 53% acreditam que dinheiro pode, sim, comprar a felicidade.

As principais conclusões do levantamento:
1 – As mulheres possuem intenso desejo de autonomia em todas as esferas da vida
2 – Busca por igualdade com o sexo oposto em todos os territórios
3 – Age com ousadia na vida amorosa sem que a culpa interfira no prazer

4 – Possui capacidade de decidir por si própria e de arcar com suas escolhas


Fonte: Meio e Mensagem, disponível em http://boo-box.link/226ES
0