Pular para o conteúdo principal

Levi's aposta em campanha virtual

Presente no País há mais de 30 anos, a marca de roupas Levi's sempre adaptou totalmente as ações publicitárias dos Estados Unidos para o Brasil. A partir de agora isso deve mudar, pelo menos na internet. A campanha deste ano, desenvolvida pela Centoeseis, pretende aproximar a grife do universo jovem através de uma plataforma 90% baseada na web. O único item mantido como nos anúncios originais norte-americanos é o conceito de "Unbuttoned", que no México, por exemplo, foi traduzido para "desabotonar". Por aqui, o mote em inglês será tema de um vídeo viral, em que pessoas na rua tentam pronunciar a palavra e divagam sobre seu significado.

Hotsites também vão compor uma ferramenta importante para promover a independência da publicidade online nacional - hoje, os sites da Levi's de todos os países só podem ser acessados através do portal internacional www.levis.com. Nessas páginas especiais, o usuá­rio poderá conferir depoimentos dos estilistas da empresa sobre os países que visitam em busca inspiração para as roupas. A divulgação em redes sociais virtuais,­ nas lojas, em videolocadoras e em bibliotecas de faculdades de moda paulistanas completa a inserção no mercado jovem. Tetê Pacheco, diretora de criação da Centoeseis, confessa que "a grife estava perdendo prestígio com esse target".

Maurício Busin, gerente da marca no Brasil, explica que a campanha procura conquistar consumidores de 20 a 25 anos; atualmente, os clientes costumam ter entre 28 e 35. Mas faz uma ressalva, afirmando que quem usa roupas da Levi's "está sempre apresentando muita atitude em seus looks, não é muito apegado a marcas e gosta de se vestir para representar sua personalidade. Quando partimos para essa segmentação, percebemos que a idade passa a ser algo mais secundário". Busin também diz que cerca de 9% do faturamento da organização se destina a marketing e que esse investimento vem aumentando nos últimos três anos.

Outro projeto originalmente brasileiro, iniciado em 2008, a rádio-web Levi's Music, continua e deve ser relançada em 20 de abril. Na mídia tradicional, os anúncios estarão presentes basicamente em revistas como Rolling Stone, Trip e TPM. A ação nas faculdades de moda também vai promover palestras gratuitas dos estilistas da Levi's para os alunos e todo o sistema de divulgação estimulará a publicação de conteúdos produzidos pelos próprios consumidores. Segundo avaliação da própria Tetê Pacheco, "é uma estratégia bastante ousada, especialmente para uma época de crise".


Fonte: Por Gabriel Navarro, in www.meioemensagem.com.br
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A relação entre empresas e clientes

Atender as necessidades do consumidor é um dos princípios básicos do Marketing. E o que mais as pessoas precisam hoje, para além da relação de compra, é de relacionamentos positivos com uma marca. Especialistas apontam três requisitos essenciais na relação entre as empresas e seus clientes: confiança, diálogo e reconhecimento.

Alguns especialistas são categóricos em afirmar que nem mesmo o consumidor sabe o que quer. Por isso, toda empresa deve estar atenta para atender as demandas reprimidas. Mas, num cenário em que produtos e serviços são semelhantes, o que vai diferenciar uma marca da outra é a experiência positiva proporcionada em todos os contatos com um produto ou serviço.

A Coordenadora da Área de Marketing e Negócios Internacionais do Coppead/UFRJ, Letícia Casotti, informa que os antropólogos dizem que somos uma “sociedade relacional”. “Damos muita importância a relacionamentos e somos um povo fácil de estabelecer relacionamentos. Mas, por outro lado, observam-se empresas cada …

Muito além do lucro: empresas precisam de propósito para criar valor para os stakeholders

O principal motor do sistema capitalista é o capital. Melhor dizendo, o lucro, que Karl Marx cunhou de forma crítica como mais-valia. Desde a concepção do sistema, entretanto, muita coisa aconteceu - da queda do muro de Berlim e dos regimes comunistas à chegada da Geração Millennial ao mercado de trabalho - e tornou cada vez mais iminente a necessidade de revisão daquele guia original dos negócios, representado por cifrões. Hoje, as empresas despertam, pouco a pouco, para a importância de se buscar propósitos mais nobres para as suas atividades, enxergando o lucro como resultado e não como objetivo maior.
A nova mentalidade, entretanto, não pode se resumir a uma maquiagem para levar a organização ao sucesso na nova era, e esse é um dos desafios assumidos por Raj Sisodia, Cofundador e Copresidente do Instituto Capitalismo Consciente, que esteve no Rio de Janeiro na última semana durante o evento Sustainable Brands.
A entidade sem fins lucrativos criada por Sisodia já está em seis países,…

Em busca de economia, consumidor troca lojas físicas por virtuais

No primeiro semestre, ao todo, mais de 17 milhões de brasileiros fizeram ao menos uma compra em lojas virtuais do país. O setor apresentou um faturamento de R$ 18,6 bilhões, segundo o relatório da WebShoppers. O destaque do período foi o maior volume de vendas de eletrodomésticos e telefonia/celular - produtos que pela cultura do país eram comprados em lojas físicas.
Segundo Adriano Caetano, especialista em e-commerce e diretor da Loja Integrada, a mudança de comportamento é reflexo da nova organização do orçamento. "Com a crise, a população acaba poupando mais dinheiro e a internet é uma forma de economizar. É mais fácil pesquisar preços e formas de pagamento, e possivelmente encontrar um preço mais barato que a loja física", explica Adriano. Na Loja Integrada, por exemplo, o aumento nas vendas entre as micro e pequenas empresas chegou a 40% em relação ao ano passado, número na contramão da recessão da economia.
Para o especialista, o destaque nestes segmentos de vendas está …