Coca-Cola é obrigada a corrigir anúncio na Austrália

A Coca-Cola foi obrigada a retificar uma campanha publicitária veiculada na Austrália em outubro do ano passado, por determinação da Comissão de Competição e Consumo da Austrália (AACC), entidade que defende os direitos dos consumidores locais.

Na campanha, a atriz australiana Kerry Armstrong aparecia dizendo que todas as idéias e afirmações a respeito dos males causados pelos refrigerantes - como obesidade e problemas gerados pelo excesso de açúcar e de cafeína existentes em sua composição são mitos e que seu consumo não acarretaria nenhum problema à saúde.

A campanha ainda trazia, pelas palavras da atriz, a seguinte explicação: ?Achamos que já é hora de expor os fatos para ajudar a entender o que está por trás da Coca-Cola. Agora que eu já sei o que é mito e o que não é, é bom saber que a nossa família pode continuar aproveitando uma de nossas bebidas favoritas. Meus filhos agora me chamam de "Mãe, a destruidora de mitos".

Na ocasião, a AACC classificou a campanha como "totalmente inaceitável" e obrigou a empresa a publicar comunicados corrigindo o tom da campanha em sete jornais australianos por julgar que ela poderia induzir os consumidores a acreditarem que o refrigerante é, de fato, inofensivo, e consumi-los sem moderação.

A Coca-Cola acatou a determinação e publicou nos jornais um comunicado no qual ressalta que o seu produto contém açúcar e nutrientes ácidos que poderiam contribuir para problemas dentários. O presidente da Coca-Cola para a região do Pacífico Sul alegou que a companhia não teve a intenção de iludir os consumidores, mas dim de transmitir uma mensagem positiva de seu produto.


Fonte: www.meioemensagem.com.br com informações da Folha de S.Paulo
0