Philip Morris reestrutura operações

Nesta quarta-feira, 30, o conselho do Altria Group Inc. se reunirá em Nova York para votar o desmembramento da unidade Philip Morris International (PMI), hoje parte da Philip Morris USA. Segundo o The Wall Street Journal, que prevê uma decisão favorável, a PMI poderá se tornar independente já em março e será a terceira empresa de produtos de consumo mais lucrativa do mundo depois da Procter & Gamble Co. e a Nestlé SA.

Como resultado da reestruturação, André Calantzopoulos, atual CEO da PMI, se tornará seu presidente, reportando-se a Louis Camilleri, CEO da Altria; este deixará o posto no grupo e realocará o QG da PMI para a Suíça (longe das severas restrições e dos reguladores dos Estados Unidos), de onde comandará um colosso com receita global de US$ 48,26 bilhões em 2006 (contra US$ 18,47 bilhões da Philip Morris USA). O grupo Altria, por sua vez, ficará reduzido às operações de tabaco nos EUA e a uma fatia de 28,6% da SABMiller, sediada no Reino Unido.

Novos produtos
De acordo com o Wall Street Journal, a medida facilitará a comercialização de uma ampla gama de novos conceitos de produtos de tabaco, cada um deles dirigido a diferentes populações internacionais ? as quais, coletivamente, deverão fumar 5,2 trilhões de cigarros neste ano.

Muitos desses novos produtos fortalecem e ampliam o alcance da marca Marlboro, cujas vendas fora dos EUA declinaram 0,53% entre 2001 e 2006. Alguns já estão no mercado, entre eles o Marlboro Mix 9, um cigarro de altos teores de nicotina e alcatrão (lançado em julho passado na Indonésia); o Marlboro Filter Plus, de baixo alcatrão e com filtro especial (vendido na Coréia do Sul, Rússia, Casaquistão e Ucrânia); e o Marlboro Intense, mais curto e mais forte (já disponível na Turquia).

Os que ainda estão em testes incluem a Heatbar, um "aparelho eletrônico de fumar" movido a pilha que emite 90% menos fumaça que um cigarro comum; o Marlboro Wides, bem mais largo que os normais; o sistema Tobacco Block System (TBS), que "enrola" cigarros individualmente e está sendo testado na Alemanha.

Para atrair os consumidores dos mercados emergentes, informa o jornal, a empresa está criando cigarros de perfume agradável que contêm tabaco, cravo e aromatizantes, com níveis duas vezes maiores de alcatrão e nicotina dos cigarros convencionais dos EUA.


Fonte: www.meioemensagem.com.br
0