Quando sua equipe precisa de desafios

Como superar barreiras ao trabalho de equipe e transformar colegas em colaboradores? “Coloque a equipe diante de um desafio irresistível”, aconselham os consultores Patrick J. McKenna e David H. Maister, autores do livro First Among Equals: How to Manage a Group of Professionals (ed. Free Press).

Existem desafios de diversas naturezas –como um projeto high-profile, um esforço para melhora dos processos ou uma oportunidade de vencer a fama de “azarão”. Uma crise ou a pressão de um prazo restrito funcionam como “temperos”. “Com um incêndio a ser apagado ou cronogramas apertados, não sobra tempo para apontar o dedo”, lembra Allan Steinmetz, CEO da empresa Inward Strategic Consulting.

Seja qual for o teor, todos os desafios mexem com a necessidade humana de pertencer a algo maior. No entanto, definir uma meta e estimular a equipe a superá-la exige maestria. “É preciso querer que as pessoas se superem”, ressalta Maister. A seguir, cinco táticas recomendadas pelos especialistas:

1. Partilhe informação.
Não poupe dados sobre a importância da empreitada. “As pessoas querem estar informadas”, alerta John Coleman, CEO da empresa de marketing The VIA Group. Judith Glaser, CEO da Benchmark Communications, orienta os clientes a jogar aberto, mesmo quando as notícias não forem boas. A partilha de informação estimula a coesão e permite identificar as ferramentas necessárias.

A Siemens Medical Solutions foi além em 2004, quando a então consultora Katie Buckley desafiou os líderes das unidades de negócios a elaborar gráficos que mostrassem a nova estratégia competitiva: do esforço saiu um diagrama com as medidas necessárias para abalar a concorrência.

2. Peça contribuições.
Estimule as pessoas a apresentar idéias. Glaser orienta os clientes a “ajudar as pessoas a articular suas contribuições. Pergunte: 'Qual tipo de inovação você pode acrescentar a esse projeto?'”.

Brian Zanghi, CEO da Pragmatech Software, usou essa abordagem quando desafiou os executivos a atuar de forma multidisciplinar dentro de uma cultura até então hierárquica. Objetivo? Conquistar novos clientes e ampliar o market share. Boa parte dos executivos, porém, era da “velha guarda” e não se sentia confortável com a idéia de colaborar com colegas de outras unidades. “Não interferi nos detalhes, pois isso extermina a criatividade”, lembra Zanghi.

3. Estimule a equipe.
Crie oportunidades para que as pessoas usem habilidades incomuns em seu diaa-dia. “Sair da caixa” permite pensar de outras maneiras, o que é essencial para a atuação em equipe e para o surgimento de idéias inovadoras.

Foi o que fez Stacy DeWalt, vice-presidente de marketing da Pitney Bowes, ao reunir 25 pessoas com experiência em áreas distintas para procurar meios de mudar a percepção do público-alvo e fortalecer os produtos e serviços da empresa na classe C. A executiva criou subgrupos e solicitou idéias alheias à esfera de atuação habitual.

4. Valorize os resultados e a visibilidade.
Para vitaminar o espírito de equipe, aposte na visibilidade. Após a reunião, os grupos reunidos por DeWalt registraram suas idéias e as apresentaram para os vicepresidentes.

“A idéia era deixar claro que existia apoio”, explica. Resultado: quatro das melhores idéias foram transformadas em projetos.

5. Ajude as pessoas.
Proponha exercícios que permitam a vivência do desafio. Um exemplo são as táticas que usaram os executivos da divisão Saturn, da General Motors, ao pedir que as equipes de vendas apresentassem idéias capazes de atender à proposta da marca: surpreender e encantar os consumidores. “Queríamos que eles vivenciassem o processo”, conta Chris Bower, gerente de estratégia para varejo da GM.


Fonte: Por Lauren Keller Johnson, colaboradora da Harvard Management Update, in Portal HSM On-line
0