HP aposta em design e estilo em estratégia

A avaliação da HP é de que o mercado brasileiro de computadores caminha a passos largos para a segmentação. E que, nesse contexto, palavras como estilo e design entram de vez para o dicionário das empresas de tecnologia e influenciam as estratégias de negócios. Assim, nichos de público ganham força nos planos da companhia, especialmente os mais jovens, vistos como formadores de opinião em potencial.

Partindo dessa premissa, a companhia definiu como prioridade investir no lançamento de produtos com design moderno e formatos diferenciados. Dessa maneira, vale notebook que imita chocolate ou tem desenhos mirabolantes e computador de mesa cujo tamanho é um terço menor que o padrão, próprios para recintos pequenos. "Identificamos que o mercado brasileiro está se tornando mais sofisticado. As pessoas continuam querendo máquinas potentes e de boa qualidade, mas a esses atributos soma-se também a busca por equipamentos bonitos e com estilo", afirma Juan Jimenez, vice-presidente da área de computadores pessoais da HP. A empresa não revela dados de investimento ou de faturamento. O Brasil vendeu 10, 7 milhões de computadores em 2007, dos quais 14,5 % referem-se a notebooks, segundo o IDC.

Segundo o executivo, a parceria com a Intel, que fornece os processadores dos equipamentos, é importante pois permite fazer máquinas cada vez menores, dando assim mais liberdade para a criação de design inovadores. Elber Mazaro, diretor de marketing da Intel, reforça. "Anos atrás, computador era tudo igual: mesma tecnologia, mesmas cores. Hoje, há demanda por personalização", diz Mazaro.

Um dos produtos que melhor ilustram esse posicionamento é um notebook conhecido dentro da HP como "Artist Edition". Trata-se de um aparelho cujo acabamento é um desenho todo moderno, escolhido a partir de concurso feito em parceria com a MTV. O alvo desse lançamento são os jovens com cerca de 20 anos.

Outro exemplo vem da linha Pavillon, com o modelo dv 2760BR, lançado há algumas semanas. A máquina tem o acabamento na cor de chocolate. Além da beleza, houve também a busca por oferecer uma configuração capaz de assegurar um bom desempenho, algo que continua a ser valorizado pelo consumidor desse segmento. Com memória de 2GB e bluetooth, o produto possui disco rígido de 160 GB. Como o preço de mercado indica - R$ 3799 -, trata-se de um item voltado preferencialmente a consumidores das classes A e B. "Esse equipamento busca os consumidores jovens adultos, na casa dos 25 a 30 anos e que possuem bom poder aquisitivo", afirma Jimenez.

Também lançado agora no Brasil pela HP, o computador de mesa Pavillon Elite M9160br, por sua vez, está disponível na rede varejista de todo o País e tem como diferencial, segundo a HP, o fato de funcionar como uma espécie de central digital, capaz de reunir as funções de PC e também TV, gravador de programas televisivos, DVD e rádio FM. Além disso, possui a tecnologia Blue-ray, um formato de disco óptico da nova geração para vídeo de alta definição.

Outra novidade é o computador cujo tamanho é um terço menor que os equipamentos convencionais. Trata-se do modelo Slimline, também da Pavillon, que vem com acabamento na cor preta. Apesar das pequenas dimensões - 10,5 cm x 27,5 cm -, alcança o mesmo desempenho que os computadores convencionais, segundo a HP. O preço sugerido de R$ 1599.


Fonte: Por Clayton Melo, in Gazeta Mercantil/Caderno C - Pág. 4
0