Comunicação, um problema de gestão

Estudo de benchmarking em gerenciamento de projetos realizado pelo Project Management Institute (PMI) confirma com dados científicos o que a percepção do senso comum já sinalizava: a comunicação se firmou como uma área estratégica no processo de gestão de projetos.

Realizado em 2008, o levantamento pesquisou, apenas no Brasil, 373 organizações de setores variados, como administração pública, consultoria, educação, indústria, tecnologia da informação e telecomunicações. O objetivo do levantamento foi identificar problemas, necessidades e fatores que contribuem para o sucesso - ou o fracasso - de projetos gerenciados pelas organizações. Numa lista de 18 fatores críticos listados com mais frequência, a Comunicação aparece em terceiro lugar em ordem de importância, perdendo apenas para os itens não-cumprimento de prazos e mudanças frequentes de escopo. Ou seja, apenas esses dois processos podem dificultar ou influenciar mais o sucesso de um projeto que a Comunicação. Para as organizações brasileiras, processos de comunicação são mais críticos que os riscos não avaliados corretamente, recursos humanos insuficientes, escopo não definido adequadamente, não-cumprimento do orçamento, problemas com fornecedores, entre tantos outros.

É uma bela notícia. Depois de uma luta inglória dos nossos decanos para projetá-la, a comunicação se vê reconhecida pelos altos gestores das organizações brasileiras. Hoje, não dá para imaginar um projeto de qualquer natureza sendo tocado sem ferramentas de comunicação. Pesquisas de opinião, estudos e análises, levantamento de fatos e documentos, nada disso se faz com a comunicação em segundo plano. A organização que ainda não acordou terá sérias dificuldades para sobreviver nesse cenário global de mudanças.

Os executivos que souberam, nas últimas décadas, reconhecer a importância do papel da comunicação estão colhendo os frutos de uma gestão bem-sucedida, traduzida, por exemplo, na satisfação de suas partes interessadas. E satisfação não rima com má informação.

O fato de a comunicação ocupar o terceiro lugar numa lista de 18 processos considerados estratégicos para uma boa gestão é motivo de orgulho e satisfação, claro. Por outro lado, causa, no mínimo, uma inquietação. Tudo bem somos importantes, mas se estamos tão em evidência, é possível que nosso trabalho esteja deixando a desejar ou não esteja sendo devidamente compreendido por nossos colegas de organização. Mas isso é outra história.


Fonte: Por Marcos Marçal e Silvana Salvador
0