Web é principal fonte de informações sobre produtos financeiros

A internet já é a principal fonte de informação para quem quer saber mais sobre produtos financeiros. De acordo com uma pesquisa encomendada pelo Google Brasil, 54% do tempo empregado na pesquisa por produtos financeiros foi gasto na web. As principais fontes de informações são os sites de bancos, seguidas por mecanismos de buscas e sites de cartões de crédito.

Segundo o estudo, as principais informações buscadas foram as tarifas cobradas por instituições financeiras em quatro grandes segmentos: bancos, operadoras de cartão de crédito, seguradoras (de saúde, automóveis, etc.) e corretoras de investimentos.

No caso dos bancos, as grandes instituições demonstraram seu peso: aproximadamente 50% das visitas a sites de bancos foram feitos com o internauta digitando o endereço do site diretamente no navegador.

Para os outros segmentos financeiros, porém, as buscas têm um peso maior, pois permitem a comparação preços, explica Andreas Huettner, diretor comercial do Google Brasil. “É cada vez mais importante quanto o banco cobra por uma conta ou por um cartão de crédito. O brasileiro está cada vez mais pesquisando sobre esse assunto e se informando mais”, disse.

Mídia
Segundo o executivo, as instituições financeiras ainda ignoram o potencial de anunciar no meio online. Apesar de 54% do tempo com a pesquisa sobre informações de produtos financeiros ser gasto na rede, menos de 5% da verba de mídia gasta pelas empresas do setor é destinada à mídia online.

Nos EUA, as empresas financeiras gastam 11 bilhões de dólares por ano e 18,18% desse valor - o equivalente a 2 bilhões de dólares - é gasto na web, segundo Jon Kaplan, diretor de serviços financeiros do Google.

A pesquisa revelou que, ao fazer uma pesquisa sobre instituição financeira, 76% dos respondentes prestaram atenção aos banners e 70% aos links patrocinados. De acordo com Andreas Huetnner, “os internautas esperam uma presença maior das empresas do setor financeiro dos dois lados - institucionalmente e como anunciantes”.


Fonte: IDG Now!
0