Pular para o conteúdo principal

Empresas inovam em busca do consumidor

No ano passado, algumas empresas conseguiram se diferenciar com estratégias e idéias inovadoras. Marcas como SulAmérica, Jornal Destak e Campari representam cases que podem servir de exemplo para empresas pequenas, médias e grandes, seja de qual segmento for.

Com cada vez menos espaço no mercado e mais empresas concorrentes surgindo, é necessário que as empresas e agências desenvolvam grandes idéias para diferenciar o produto, seja no ponto-de-venda, na Internet ou nos meios tradicionais de comunicação. O que as empresas oferecem ao consumidor precisa gerar o interesse dele, ter relevância e desejo de compra.

Rádio como estratégia de marketing
Com um case inovador, a SulAmérica Seguros ganhou destaque na mídia com a criação de uma rádio somente com informações sobre o trânsito de São Paulo. De acordo com Zeca Vieira, Diretor de Marketing da SulAmérica, a diferenciação de um produto ou serviço não acontece apenas com freqüência e visibilidade ao gerenciar uma marca. “É preciso oferecer uma comunicação que seja relevante e que toque
o coração das pessoas”, afirma em entrevista ao Mundo do Marketing.

Durante 24 horas por dia, sete dias por semana, a Rádio SulAmérica toca notícias sobre as melhores e piores condições do trânsito paulista. A estratégia aumentou o share of mind - lembrança da marca – da empresa em 68%, de acordo com pesquisa da Synovate Brasil.

Com vista nestes cases inovadores cria-se oportunidade para que outras empresas percebam a importância de entregar um produto útil ao consumidor. Relevância é uma tecla fundamental que deve ser ressaltada toda vez que se falar em inovação. Zeca Vieira participa do evento As Grandes Sacadas de Marketing para mostrar o case. “Estamos no caminho certo e oferecendo uma comunicação de qualidade. Participar do evento significa que estamos focados nos resultados de nossas ações de marketing”.

Marketing dentro do copo
A Campari é outra marca que teve destaque no cenário do Marketing com campanha integrada que gerou importante performance da empresa no mercado. Todas as ferramentas de comunicação foram integradas no conceito do comercial para a TV. A empresa dedicou os últimos 15 meses na integração das ações de conhecimento da marca através de propaganda, PDV, relações públicas e inovação, além de pesquisa de interesse e necessidade do consumidor.

Mesmo assim, a estratégia só foi aplicada após uma leitura de mercado feita pelo Instituto de pesquisas Nielsen, com consumidores de Campari a fim de entender o que eles estavam pensando sobre a marca. “Percebemos que precisávamos desenvolver atividades além do comercial. A inovação veio com a participação da marca na SPFW – São Paulo Fashion Week 2007”, explica Heitor de Vargas Cavalheiro Neto, Diretor Executivo de Marketing da Campari.

No comercial para a TV, a Campari mostra uma mulher que joga a bebida no vestido de uma amiga. Para o investimento em toda a campanha, a empresa também esparramou R$ 10 milhões no marketing, “molhando” desde o filme da TV até o PDV. “Fizemos a otimização das mídias de forma simples. Até os displays de supermercado estavam em sinergia com a campanha na TV. Toda vez que tivemos contato com o consumidor entregamos a mesma mensagem”, explica Vargas.

Com estratégias direcionadas para o Mobile Marketing em 2009, a grande sacada de Marketing da Campari em 2007 foi conhecer profundamente o seu consumidor, criar inovações em todas as áreas da comunicação e ter ousadia e consistência na comunicação.

Gratuidade e informação como destaque
O Jornal Destak é mais um que teve suas ações reconhecidas. O veículo de comunicação gratuito, com circulação diária de 150 mil exemplares em SP, está presente em estações de metrô, universidades e nos principais cruzamentos de São Paulo além de mais de 600 pontos fixos.

A idéia do jornal surgiu depois que um dos três sócios que viajou para a Europa e percebeu que em cada ponto havia um jornal semanal grátis. A distribuição começou a incomodar os jornais pagos e daí surgiu a proposta de compra e posteriormente a aplicação do veículo no Brasil, em 2004, quando passou a ser diário.

Com distribuição, redação e departamento comercial próprios, o jornal não possui nenhum vínculo com outros grupos de comunicação. “Nossa preocupação é fazer um jornal com a cara do paulista”, diz Cláudio Zorzett, Diretor Comercial e Marketing do jornal Destak em entrevista ao Mundo do Marketing.

Comunicação direcionada
Facilmente encontrado em trens e metros de Portugal, aqui no Brasil os leitores do Destak são geralmente das classes A e B. As estratégias de Marketing que o diário faz envolvem os anunciantes e são realizadas ações pelo menos três vezes na semana. “As ações envolvem o jornal e o anunciante. Promotores vestem a camisa do cliente. A última ação foi feita na distribuição da H2OH”, conta Zorzett.

Dentre as ações criadas pelo Destak, está a sobre-capa do jornal com anúncio da marca Pedigree. Durante o Dia do Amigo, o jornal veiculou em sua capa a reprodução do jornal com texto em linguagem de cachorro. “No lugar das frases nas reportagem e manchetes, colocamos Au Au Au Au como uma referência ao cachorro, que é conhecido com o melhor amigo do homem”, conta o executivo.

Para atrair o consumidor, as marcas não medem esforços e nem ações inusitadas. O que vale é trazer o consumidor para perto da marca de forma cada vez mais personalizada. O jornal Destak desenvolveu o projeto Taylor Made que direcionam a comunicação de um produto para um target específico. “Fizemos uma ação para a Net somente para o bairro do Tatuapé e criamos uma sobre-capa para aquela região”, afirma Zorzett.


Fonte: Por Thiago Terra, in www.mundodomarketing.com.br
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A relação entre empresas e clientes

Atender as necessidades do consumidor é um dos princípios básicos do Marketing. E o que mais as pessoas precisam hoje, para além da relação de compra, é de relacionamentos positivos com uma marca. Especialistas apontam três requisitos essenciais na relação entre as empresas e seus clientes: confiança, diálogo e reconhecimento.

Alguns especialistas são categóricos em afirmar que nem mesmo o consumidor sabe o que quer. Por isso, toda empresa deve estar atenta para atender as demandas reprimidas. Mas, num cenário em que produtos e serviços são semelhantes, o que vai diferenciar uma marca da outra é a experiência positiva proporcionada em todos os contatos com um produto ou serviço.

A Coordenadora da Área de Marketing e Negócios Internacionais do Coppead/UFRJ, Letícia Casotti, informa que os antropólogos dizem que somos uma “sociedade relacional”. “Damos muita importância a relacionamentos e somos um povo fácil de estabelecer relacionamentos. Mas, por outro lado, observam-se empresas cada …

Muito além do lucro: empresas precisam de propósito para criar valor para os stakeholders

O principal motor do sistema capitalista é o capital. Melhor dizendo, o lucro, que Karl Marx cunhou de forma crítica como mais-valia. Desde a concepção do sistema, entretanto, muita coisa aconteceu - da queda do muro de Berlim e dos regimes comunistas à chegada da Geração Millennial ao mercado de trabalho - e tornou cada vez mais iminente a necessidade de revisão daquele guia original dos negócios, representado por cifrões. Hoje, as empresas despertam, pouco a pouco, para a importância de se buscar propósitos mais nobres para as suas atividades, enxergando o lucro como resultado e não como objetivo maior.
A nova mentalidade, entretanto, não pode se resumir a uma maquiagem para levar a organização ao sucesso na nova era, e esse é um dos desafios assumidos por Raj Sisodia, Cofundador e Copresidente do Instituto Capitalismo Consciente, que esteve no Rio de Janeiro na última semana durante o evento Sustainable Brands.
A entidade sem fins lucrativos criada por Sisodia já está em seis países,…

Em busca de economia, consumidor troca lojas físicas por virtuais

No primeiro semestre, ao todo, mais de 17 milhões de brasileiros fizeram ao menos uma compra em lojas virtuais do país. O setor apresentou um faturamento de R$ 18,6 bilhões, segundo o relatório da WebShoppers. O destaque do período foi o maior volume de vendas de eletrodomésticos e telefonia/celular - produtos que pela cultura do país eram comprados em lojas físicas.
Segundo Adriano Caetano, especialista em e-commerce e diretor da Loja Integrada, a mudança de comportamento é reflexo da nova organização do orçamento. "Com a crise, a população acaba poupando mais dinheiro e a internet é uma forma de economizar. É mais fácil pesquisar preços e formas de pagamento, e possivelmente encontrar um preço mais barato que a loja física", explica Adriano. Na Loja Integrada, por exemplo, o aumento nas vendas entre as micro e pequenas empresas chegou a 40% em relação ao ano passado, número na contramão da recessão da economia.
Para o especialista, o destaque nestes segmentos de vendas está …