O resgate do papel da imprensa

Eu continuo achando que as pessoas se tornam melhores quanto maior for sua capacidade de continuar se indignando com os abusos cometidos contra o ser humano. Essa história de que a vida é como é porque a gente acaba se acostumando com ela e com as coisas que ela nos apresenta é pura balela dos acomodados. Ao longo da nossa vida profissional, são várias as armadilhas que se apresentam nos tentando e nos levando para o comodismo, para o silêncio, para a indiferença, deixando para os piores a formulação final da sentença de vida ou de morte de importantes valores democráticos, como a liberdade de imprensa.

Se abrirmos mão do nosso dever de relembrar à sociedade, a cada dia, o que significa a imprensa numa sociedade democrática, então não sobrará muita dignidade para abrirmos espaço nos nossos escritos para acusar, julgar ou simplesmente expor os erros e abusos dos outros. Não teremos com quem falar, pois aqueles que preferem ignorar o real papel da imprensa tomarão todos os espaços, dando sua versão parcial sobre a essência do trabalho dos jornalistas.

Por isso, fiquei orgulhosa do artigo de Vera Brandimarte no jornal O Globo. Ela não deixa passar batidas as bravatas do dr. Protógenes acusando-a de submeter seu jornal, Valor Econômico, às seduções de Naji Nahas, aliviando sua exposição no jornal. Vale a pena ler.


Fonte: Por Yara Peres - sócia e vice-presidente do Grupo CDN, in www.blogdayara.com.br
0