Pular para o conteúdo principal

Questões importantes sobre o Marketing na Internet

O Congresso de Buscadores, SEO, SEM e Marketing Online realizado no final em Barcelona no início deste ano trouxe muitas questões importantes sobre as novas perspectivas do Marketing na internet. Os assuntos abordados foram desde a importância da relevância dos conteúdos, das redes sociais, gestão da reputação online, posicionamento em buscadores, SEO, Analítica Web, ORM, entre outros.

Falou-se sobre as tendências da internet e das mudanças do perfil dos usuários, entre elas, as ferramentas de publicação de conteúdo estão em contínua evolução e são cada vez mais acessíveis; a explosão de fontes de informação, fragmentação da audiência; inteligência coletiva; personalização; capacidade de atenção limitada; a usabilidade como grande objetivo de qualquer site. Atualmente, o usuário não tem paciência, ele tem que encontrar as informações que deseja de forma rápida.

Os grandes protagonistas do evento foram as redes sociais, analítica Web e Reputação online. Abordou-se muito a questão de como otimizar os conteúdos gerados pelos usuários. Diante disso, que estratégia seguir frente ao auge dos conteúdos sociais? Tudo indica que uma estratégia de otimização para buscadores deve ser integral, abarcar desde os conteúdos web até materiais multimídia e conteúdo criado pelos usuários.

E como medir, analisar e otimizar os resultados em redes socais ou outros canais? Todo o profissional da área tem muito que fazer neste sentido, as empresas necessitam satisfazer os clientes e a Analítica Web é um aliado indiscutível para medir isto. Profissionais do Google falaram sobre o Google Analytics, a importância de medir as conversões para melhor gerenciar o ROI em Campanhas online. A importância de utilização de Segmentos Avançados para aprofundar o conhecimento do perfil do usuário.

A ORM (Online Reputation Management), abordada por vários palestrantes, é um assunto ainda muito pouco discutido e desenvolvido de fato. Por isto, a Igne Inteligência Digital resolveu participar, porque o Brasil precisa estar ligado nestas novas estratégias Online. O poder dos usuários no desenvolvimento do conhecimento coletivo foi potencializado de maneira exponencial através da web. E as empresas precisam atentar para o quanto as redes socais e os buscadores são importantes para a reputação de uma marca.

Fala-se que o Google é muito mais do que um buscador, é sim, um rankeador de reputação. O Google estima receber dois bilhões de pesquisas por dia. Dois bilhões de pessoas que acessam os buscadores, muitas vezes para se informar sobre um produto ou serviço. E você sabe o que seus clientes estão falando de você na internet? Sabe como eles estão buscando os produtos que consomem?

O poder do marketing está nas mãos dos usuários, que comentam quando um produto agradou, quando o atendimento foi bom, mas também, com a total liberdade de expressarem seus sentimentos, criticam quando sentem vontade. E compartilham idéias com outros consumidores, de forma nunca antes pensada pelo marketing. O marketing boca-boca está realmente globalizado porque um consumidor do Brasil pode trocar idéia com um consumidor da Europa ou EUA em poucos segundos.

As empresas, sejam nacionais ou internacionais, precisam estar atentas a este poder cada vez maior que os clientes possuem. Saber o que os clientes falam das marcas é questão de sobrevivência hoje. Monitorar isto é garantia de negócios. E isto não significa monitorar somente o seu site, significa entrar em redes sociais, estar no Linkedin, no Twitter, utilizar RSS, Widgets, blogs, podcast, saber o que os concorrentes estão falando, o que os clientes estão falando dos concorrentes, trocar idéia com os consumidores dos seus produtos, estar nas comunidades que falam sobre o seu ramo de atuação.

E tudo isto, não é assunto somente para grandes empresas, as pequenas e médias empresas devem estar muito antenados a esta nova realidade, pois o “P” de Promoção foi alterado de forma radical e a cada dia nos surpreende com novas possibilidades.


Fonte: Por Taisa Dalla Valle - sócia/gerente de Marketing Online da Igne Inteligência Digital, in www.mundodomarketing.com.br
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A relação entre empresas e clientes

Atender as necessidades do consumidor é um dos princípios básicos do Marketing. E o que mais as pessoas precisam hoje, para além da relação de compra, é de relacionamentos positivos com uma marca. Especialistas apontam três requisitos essenciais na relação entre as empresas e seus clientes: confiança, diálogo e reconhecimento.

Alguns especialistas são categóricos em afirmar que nem mesmo o consumidor sabe o que quer. Por isso, toda empresa deve estar atenta para atender as demandas reprimidas. Mas, num cenário em que produtos e serviços são semelhantes, o que vai diferenciar uma marca da outra é a experiência positiva proporcionada em todos os contatos com um produto ou serviço.

A Coordenadora da Área de Marketing e Negócios Internacionais do Coppead/UFRJ, Letícia Casotti, informa que os antropólogos dizem que somos uma “sociedade relacional”. “Damos muita importância a relacionamentos e somos um povo fácil de estabelecer relacionamentos. Mas, por outro lado, observam-se empresas cada …

Muito além do lucro: empresas precisam de propósito para criar valor para os stakeholders

O principal motor do sistema capitalista é o capital. Melhor dizendo, o lucro, que Karl Marx cunhou de forma crítica como mais-valia. Desde a concepção do sistema, entretanto, muita coisa aconteceu - da queda do muro de Berlim e dos regimes comunistas à chegada da Geração Millennial ao mercado de trabalho - e tornou cada vez mais iminente a necessidade de revisão daquele guia original dos negócios, representado por cifrões. Hoje, as empresas despertam, pouco a pouco, para a importância de se buscar propósitos mais nobres para as suas atividades, enxergando o lucro como resultado e não como objetivo maior.
A nova mentalidade, entretanto, não pode se resumir a uma maquiagem para levar a organização ao sucesso na nova era, e esse é um dos desafios assumidos por Raj Sisodia, Cofundador e Copresidente do Instituto Capitalismo Consciente, que esteve no Rio de Janeiro na última semana durante o evento Sustainable Brands.
A entidade sem fins lucrativos criada por Sisodia já está em seis países,…

Em busca de economia, consumidor troca lojas físicas por virtuais

No primeiro semestre, ao todo, mais de 17 milhões de brasileiros fizeram ao menos uma compra em lojas virtuais do país. O setor apresentou um faturamento de R$ 18,6 bilhões, segundo o relatório da WebShoppers. O destaque do período foi o maior volume de vendas de eletrodomésticos e telefonia/celular - produtos que pela cultura do país eram comprados em lojas físicas.
Segundo Adriano Caetano, especialista em e-commerce e diretor da Loja Integrada, a mudança de comportamento é reflexo da nova organização do orçamento. "Com a crise, a população acaba poupando mais dinheiro e a internet é uma forma de economizar. É mais fácil pesquisar preços e formas de pagamento, e possivelmente encontrar um preço mais barato que a loja física", explica Adriano. Na Loja Integrada, por exemplo, o aumento nas vendas entre as micro e pequenas empresas chegou a 40% em relação ao ano passado, número na contramão da recessão da economia.
Para o especialista, o destaque nestes segmentos de vendas está …