O presidente da Ford e o sinal vermelho

Dia 02 de junho, o presidente mundial da Ford, Alan Mulally, afirmou que não sabe quando a empresa voltará ao lucro -- seu plano até agora era de que a empresa saísse do vermelho em 2009, mas a desaceleração do mercado automotivo americano está comprometendo o cronograma. Ex-presidente da Boeing, Mulally chegou à Ford em setembro de 2006, quando a montadora já enfrentava a crise que perdura até hoje. Entre 2006 e 2007, a empresa perdeu 15 bilhões de dólares -- apesar de ter demitido 40 000 funcionários e fechado 12 fábricas nos últimos anos. Ou seja, Mulally tem uma bela batata quente nas mãos.

Como comandar uma empresa nessas condições?

Em meio a toda pressão dos investidores, empregados, sindicalistas, jornalistas etc., Mulally tem que tomar diversas decisões difíceis diariamente. Outro dia almocei o executivo Rogélio Goldfarb, diretor de assuntos corporativos e comunicação da Ford para a América do Sul, e ele me contou que o presidente criou um sistema simples para ajudá-lo a definir quais os assuntos e decisões que deve priorizar. Semanalmente, Mulally faz uma reunião com os principais diretores da empresa. Nessas ocasiões, cada um deles deve apresentar de forma bem objetiva os assuntos em que estão trabalhando. Ao lado de cada item, devem colocar uma bola vermelha, amarela ou verde -- vermelho significa que aquele é um item crítico, amarelo que é preciso prestar atenção, verde que está sob controle. Mulally simplesmente ignora todos os assuntos pintados de verde -- ele acha que não vale a pena dedicar seu tempo ao que já vai bem.

Fica o exemplo: sobretudo em momentos de crise é bom que os executivos saibam separar o que merece sua atenção daquilo que pode ser delegado -- caso contrário correm o risco de perder tempo com detalhes, enquanto as coisas realmente importantes ficam de lado.


Fonte: Por Cris Correa - Blog Por dentro das empresas, in portalexame.abril.com.br
0