Vantagens e desvantagens da pesquisa pela Internet

Conhecer as preferências do consumidor é importante para qualquer marca em qualquer lugar do mundo. De Norte a Sul e de Leste a Oeste do Planeta, sempre que uma companhia grande ou pequena precisa saber mais sobre o seu público-alvo, a ferramenta mais usada é a pesquisa. Capaz de obter informações preciosas sobre o mercado, comportamento, tendências e diversas outras características do consumidor, as pesquisas ganharam uma aliada que promete acabar com as ligações incômodas e com entrevistas duradouras durante o horário de almoço ou de lazer. Com a ajuda da Internet, as pesquisas migram das ruas e dos telefones para ganhar o mundo on-line.

As pesquisas on-line são cada vez mais comuns em empresas deste segmento, porém ainda é restrito para as classes A, B e em menor escala para a classe C. Este fato se dá por causa da baixa penetração da Internet no Brasil e pela dificuldade das classes sociais de baixa renda em adiquirir um computador. Problemas sociais a parte, a pesquisa on-line trouxe mais comodidade e agilidade em relação ao método convencional – entrevistador e entrevistado ou ligações telefônicas – pelo fato de atingir as pessoas de forma rápida e ser muito mais em conta para o departamento financeiro.

A segurança das pessoas, hoje, atrapalha os pesquisadores de campo quando estes vão até os condomínios e edifícios em muitos estados brasileiros. A dificuldade existe desde a chegada do agente nos estabelecimentos, devido ao medo dos cidadãos em abrir a porta para estranhos até a negativa imposta por secretárias de prédios residenciais e comerciais. Pelo telefone o trabalho também não é fácil. Muitas vezes confundido com telemarketing, os pesquisadores escutam desaforos e, na maioria das vezes, o entrevistado não tem tempo disponível para responder as perguntas.

Internauta é o foco
De acordo com profissionais do setor, a pesquisa on-line deve ser direcionada a produtos cujo público-alvo esteja na Internet. Desta forma, através da web, é possível direcionar o conteúdo para o público específico de um produto ou campanha. "O retorno acontece quando o público-alvo do produto é da Internet. Neste caso ele pode receber um filme-teste para avaliar a campanha", diz Daniela Daud (foto), Diretora do Instituto QualiBest.

A executiva explica que é preciso checar se o produto é adequado ao público da Internet. "Quando nos pediram para fazer uma pesquisa on-line de um produto para classe C e D, ou para os idosos, fizemos pelo telefone", conta Daniela. Segundo ela, o Instituto QualiBest de Pesquisa On-line, sempre recomenda a pesquisa correta e oferece a melhor técnica com melhor custo-benefício.

É importante destacar que a pesquisa on-line está inserida na pesquisa geral. De acordo com Lucas Pestalozzi, Diretor de Planejamento da TNS InterScience, uma pesquisa guiada pelo resultado obtido na web, está fadada ao equívoco. "Para escolher entre a solução on-line ou a tradicional, é preciso saber qual o objetivo. A pesquisa on-line dificilmente vai alcançar o público de baixa renda", afirma Pestalozzi.

Vantagens para o consumidor, mas nem tanto para empresas
A Internet veio para ficar e a cada dia conquista mais espaço entre as empresas e os consumidores. O fato da web não atingir a maioria da população brasileira, não diminui a sua importância para o mercado dinâmico de pesquisas. Sendo grande ou pequeno, o público não encontra desvantagens com pesquisas feitas pela Internet. Pelo contrário. Talvez para as empresas este problema exista, de fato.

Os produtos que precisam ser testados pelo consumidor, como sabão em pó, refrigerante, carro, entre outros, é comum utilizar a pesquisa convencional. “A principal vantagem da pesquisa on-line é a possibilidade de interagir com o respondente. É possível mostrar formas de estímulo mais facilmente do que em uma pesquisa convencional”, analisa Victor Trujillo, Professor de Pesquisa de Mercado da ESPM de São Paulo.

Qualidade, agilidade e novos formatos são algumas das vantagens de uma pesquisa realizada na Internet. De acordo com Lucas Pestalozzi, algumas empresas ainda trabalham com entrevistas por telefone, o que não passa confiança. Hoje a Internet tem sido muito usada como meio para pesquisa até mesmo por sites de relacionamento, fóruns, busca, entre outros. Na Internet, sites importantes são comparados com o de outras empresas para que na próxima oportunidade possa ser modificado de forma superior. “Na web também existem pesquisas com funcionários para avaliar a satisfação, a motivação e até lealdade deles”, aponta Pestalozzi, da TNS InterScience. Segundo o diretor, as desvantagens da pesquisa on-line são, na verdade, barreiras, como por exemplo, o público de baixa renda que não pode ser atingido.

Internet oferece novos métodos e formas
No Instituto Qualibest existe um painel com 70 mil usuários cadastrados, cientes de que estão no sistema de pesquisas on-line. Este sistema faz com que uma empresa tenha sempre um número específico de pessoas que responderão às pesquisas criadas para produtos diferentes. Através de um programa de fidelização, com moeda virtual que pode ser trocada por prêmios após o usuário acumular pontos, a empresa fornece um login e senha. O usuário informa seu perfil e, com base neste cadastro, a Qulibest dispara e-mail para o perfil de público escolhido pela empresa responsável pelo produto ou serviço. “Quem responder o que a pesquisa precisa “ouvir” passa pelo filtro. É preciso atingir um número estipulado de consumidores finais”, explica a Diretora da Qualibest, Daniela Daud.

Quando a pesquisa passou do papel para o telefone, o entrevistado não percebeu a diferença na qualidade da abordagem. Até porque pelo telefone uma pesquisa pode demorar mais do que o previsto em campo, por causa da falta de um produto para que o entrevistado veja ou sinta. O método de pesquisa on-line oferece a facilidade de ser preenchida no computador, sentado, em casa. Uma pesquisa de uma campanha de comunicação, por exemplo, apresentada no papel, mostrava a dificuldade do público em perceber a mensagem.

No telefone, as pessoas não enxergavam a campanha, o que também não ajudava no desenvolvimento. “Pela Internet é possível ver no You Tube, pode parar, voltar, avaliar a campanha e explorar melhor o que se oferece”, ensina Lucas Pestalozzi, da TNS. Segundo ele, é possível saber como as pessoas navegam nos sites das empresas. Desta forma, com a pesquisa on-line, qualquer empresa consegue perceber que assunto gerou mais interesse no usuário e, assim, instrumentalizar mais a pesquisa.

Tendências
O crescimento da pesquisa on-line no Brasil acontecerá à medida que a posse de computador e Internet nos lares aumentar. Para descontinuar a forma de pesquisa convencional, o professor de Pesquisa de Mercado da ESPM, Victor Trujillo, afirma que só será possível quando a penetração da Internet for similar à da televisão. Sendo assim, de acordo com as previsões, teremos que responder ainda muitas pesquisas convencionais.

É inegável que haverá crescimento no uso da Internet entre os instrumentos de pesquisa de mercado. A esperança é que o público tenha acesso à rede e que a pesquisa saia de vez do papel e vá para o mundo virtual. O mercado de pesquisa on-line ganha terreno, os profissionais do setor apostam na Internet e os agentes de pesquisa torcem pela inclusão digital do seu trabalho.


Fonte: Por Thiago Terra, in www.mundodomarketing.com.br
0