A galinha dos ovos de ouro existe sim

Alguns negócios surpreendem pela aparente simplicidade da idéia que lhe deu origem e pelo estrondoso sucesso que algo aparentemente tão simples obteve. O Band-Aid foi criado por um funcionário da Johnson & Johnson para ajudar a esposa, que estava sempre cortando os dedos ao cozinhar. Acabou virando um dos produtos mais lucrativos da empresa. E o funcionário que o inventou virou vice-presidente. O Liquid Paper, aquele corretor muito usado na época das máquinas de escrever, foi inventado por uma secretária a partir de um vidrinho de esmalte e um pouco de tinta branca, que ela mesma produzia em sua cozinha. Essa foi a origem de uma indústria multimilionária.

Até uma coleção de embalagens plásticas de balas pode dar origem a um grande negócio. Um técnico de computação chamado Pierre Omidyar resolveu ajudar a namorada a expandir sua coleção de caixinhas de Pez – pastilhas muito populares nos EUA, que vêm acondicionadas em embalagens no formato de personagens de desenhos animados. Para isso, ele criou uma página na web onde os colecionadores pudessem trocar informações e itens colecionáveis. Essa foi a origem do e-Bay, site de leilões virtuais que transformou Pierre em milionário.

Essas e muitas outras histórias similares nos mostram que a galinha dos ovos de ouro de fato existe: ela é a combinação da criatividade com o espírito empreendedor. A criatividade é a fagulha, a idéia inicial. O espírito empreendedor é o que transforma essa fagulha numa fogueira, ou seja, em um grande negócio. Muitos podem pensar que um curativo caseiro, um vidrinho com tinta para encobrir erros de datilografia e um site para trocar embalagens de bala são idéias sem nenhum futuro. Mas quando é um legítimo empreendedor que está por trás dessas idéias, os resultados podem surpreender. E como!

Se você tem uma idéia original e inusitada, prepare-se para ouvir uma enxurrada de comentários desanimadores. Vão lhe dizer coisas como: "Você ficou maluco" e "Isso nunca vai funcionar". Mas é natural que seja assim. Pessoas visionárias são como reis em terra de cegos: vêem o que ninguém mais enxerga. No século 19, havia quem acreditasse que o progresso da humanidade tinha atingido tal ponto que nada mais havia a ser inventado. No século 20, chegou-se a dizer que os computadores pessoais nunca fariam sucesso. Afinal, quem é que iria querer ter um computador em casa? Eu próprio já fui alvo de descrédito quando contei aos outros minhas idéias. "É impossível" foi uma das frases que mais ouvi na vida. Acontece que eu não acreditei. Preferi acreditar em minha intuição e no cenário que eu vislumbrava à minha frente. E, é claro, tratei de transformar esse cenário em realidade. O resultado foi a criação de vários negócios bem-sucedidos.

Não é qualquer um que pode encontrar a sua galinha dos ovos de ouro. O fato é que ela não anda por aí com uma placa no pescoço dizendo "ponho ovos dourados". Muitos a vêem e a deixam passar, tomando-a por uma galinha comum. Só os que possuem visão, iniciativa e ousadia são capazes de detectá-la. E enquanto os outros riem, zombam e duvidam, eles enriquecem.


Fonte: Por Ricardo Bellino, in Gazeta Mercantil/Caderno C - Pág. 10
0